Laboratório de Sistemas Integráveis

Instituto Itaú Cultural

Media research Lab
New York University

O Laboratório de Sistemas Integráveis, localizado no departamemento de engenharia elétrica da Escola Politécnica da USP foi fundado em 1975 pelo professor João Antônio Zuffo. A meta do laboratório sempre foi integrar as tecnologias desde o design do chip até o produto final, passando pelo design do hardware e do software que todo o processo implica.

Desde 1993 o LSI tem atuado perifericamente na área de Arte e tecnologia. Leibniz é o primeiro espetáculo da associação LSI / Itaú Cultural que firma o Núcleo de Criação de Conteúdo (NCC) do laboratório.

Desde sua fundação, em 1987, o Itaú Cultural ampliou e aprofundou sua missão institucional e seu âmbito de atuação, de acordo com um processo contínuo de adaptações e mudanças que se consolidaria em 1997. Desde então, o Itaú Cultural passou a adotar uma proposta de trabalho que articula organicamente a arte, a cultura e o processo de formação cultural da comunidade.

As atividades do Itaú Cultural se pautam por uma política de criar ações integradas no campo da arte e cultura brasileiras, de forma a encorajar talentos emergentes ou a dar espaço a produtores já consagrados, tudo com o propósito de elevar o nível da discussão sobre arte e cultura dentro da comunidade. Tais atividades incluem mostras de caráter retrospectivo —apresentando a história de discussões atuais dentro da arte de vanguarda—, mostras de caráter prospectivo —sondando tendências e apontando futuros rumos de atuação—, programas integrados de fomento a diversas formas de expressão, desenvolvimento de bases de dados consultáveis on-line ou nas dependências das unidades do instituto, criação de meios de difusão ampla de produtos culturais e coordenação e produção de projetos de pesquisa, para suporte às suas diferentes ações.

O Laboratório de Pesquisa em Mídia (MRL) está explorando novas técnicas que permitem ao público usar o computador como instrumento para compartilhar idéias, expressar criatividade e interagir e comunicar de novas maneiras.

Sua meta é a criação de pontes entre as pessoas e os computadores, permitindo a qualquer membro da sociedade ter acesso a comunidade digital através do computador.

Através de suas ligações com a Universidade de Nova Iorque e também através de seus projetos colaborativos, o MRL é amplamente conectado com o HCI (Interação Homem-Máquina) e as comunidades de pesquisa em computação gráfica.